Cuidados continuados

O Grupo ICC tem a Responsabilidade Social em seu DNA desde a fundação. Fazem parte da nossa essência: o cuidado com as pessoas, a humanização no tratamento, o acolhimento e compromisso com os pacientes. Em 1970 a Rede Feminina, presidida à época por Heloísa Juaçaba, criou a Enfermaria Carmem Prudente com o intuito de acomodar os pacientes do interior do Estado que não tinham parentes ou recursos financeiros para pagar acomodação em Fortaleza. Ao longo do tempo a Enfermaria evoluiu e passou a se chamar Casa Vida. A Casa Vida é uma casa de cuidado, um lugar de acolhimento, suporte emocional e atenção humanizada aos pacientes SUS que fazem o tratamento no Hospital Haroldo Juaçaba. Oferece diversos cuidados que vão além das seis refeições diárias e da acomodação para pacientes e acompanhantes. Possui espaçosas salas de convivência, amplo refeitório, uma reconfortante visão para a Lagoa do Porangabussu e extenso jardim para atividades ao ar livre.


Voluntariado

Um dos modos de apoiar a Casa Vida é tornando-se voluntário. É possível contribuir no voluntariado de duas formas: como voluntário fixo ou como voluntário de ações eventuais. Saiba o que faz cada perfil de voluntário.


Uma história de compromisso social

Somos o maior complexo de soluções de saúde do Brasil. Os 6 negócios que compõem o Grupo ICC têm em seu DNA o cuidado com as pessoas, utilizando da inovação e tecnologia para oferecer as melhores soluções de saúde. Esse posicionamento está na essência do Grupo ICC e reforça suas crenças e valores. O foco total no ser humano e no fazer o bem, são desde sua origem valores que regem a instituição. Isso faz com que em vários momentos e em vários processos do dia a dia, existam projetos e ações estruturadas no sentido de viabilizar além do melhor tratamento, os melhores profissionais e tecnologias que oferecem uma visão centrada no paciente, cuidado do atendimento ao tratamento e qualidade de vida.

  • Programa Guerreiros

    No Hospital Haroldo Juaçaba, os funcionários são convidados a estabelecer conexões mais próximas com os pacientes. Todos podem apadrinhar pessoas que estão em tratamento e convidá-las para o Programa Guerreiros. Neste programa, todo paciente, seja do SUS ou não é convidado a ser um Guerreiro, a ter uma nova visão na luta da vida contra o câncer. Nele, de forma livre e voluntária, colaboradores do ICC assumem o papel de Padrinhos, praticando o acolhimento, compreensão, socialização e cortesia, que gera empatia e amparo aqueles que estão “guerreando” por sua saúde. Os padrinhos se tornam próximos das famílias dos seus Guerreiros para juntos ampliarem o afeto da rede de apoio. O vínculo se torna tão especial, que mesmo depois de terminados os tratamentos boa parte dos relacionamentos mantém-se. O que é de se esperar, considerando que Guerreiros serão para sempre vencedores diante da luta que travam.

  • Telemarketing

    Mais de 70% dos pacientes que chegam ao HJ são pacientes do SUS, pessoas que na maioria das vezes não tem condições de arcar com os altos custos do tratamento. Existem uma infinidade de casos onde são necessários exames e procedimentos que não são cobertos pelo SUS. Essa complementação de receita para viabilizar o tratamento recomendado mesmo que não esteja 100% financiado pelo SUS vem de doações que diariamente são arrecadadas através do trabalho ativo de telemarketing.

  • Hospedagem Casa Vida

    Ação social da Casa Vida que tem como objetivo oferecer acomodação a pacientes oncológicos do interior do Ceará que estão em tratamento e não tem onde se hospedar em Fortaleza, um centro de assistência que recebe pacientes e seus familiares. Na Casa Vida cada paciente tem direito a hospedar-se com um familiar ou pessoa de apoio no decorrer do seu tratamento.

  • Programa Banco de Perucas

    O Programa tem o objetivo de promover elevação da autoestima de mulheres em tratamento oncológico no HJ, por meio da doação de perucas. Recebemos doação de cabelos, acima de 25cm, virgens ou não, para a confecção de perucas que em muito contribuem para atenuar os impactos na autoestima causados pelo tratamento.

  • Programa de Bolsas FRT

    Seguindo a premissa da mantenedora da Faculdade de manter uma política de filantropia, foi criado o programa de bolsas de estudo com vistas a garantir acesso ao ensino de qualidade em saúde a alunos que notadamente tenham bons conhecimentos e incapacidade de pagamento. São ofertadas bolsas de 100% e 50% até o final do curso. O critério de seleção adotado é a nota do Enem.

  • Grupo de Apoio Bem Viver

    Grupo com objetivo de oferecer apoio e carinho a pacientes em tratamento oncológico, estimulando o compartilhamento de histórias em rodas de diálogo, proporcionando suporte emocional para quem precisa. Organizados por psicólogos e assistente social, os encontros ocorrem 1 vez por mês.

  • Mingau do Bem

    Distribuição diária de mingau a pacientes vindos do interior. Mais que uma ação social é um gesto de cuidado e acolhimento, pois muitas vezes o mingau é a primeira ou única refeição daquele paciente que acaba de chegar do interior para uma consulta ou tratamento.

  • Doações de Cesta Básica

    Ação que visa cuidar e ajudar os pacientes em situação de vulnerabilidade social por meio de doações de cesta básica. São contemplados os hóspedes da Casa Vida e famílias da comunidade do entorno.

  • Artesanato

    Atividade que visa proporcionar momentos de distração, aprendizado e inclusão social para pacientes e acompanhantes, por meio de oficinas de artesanato. As oficinas são ministradas por grupos de artesãos para os pacientes da Casa Vida.

Temos uma metodologia para o gerenciamento dos voluntários. Para integrar a equipe, o candidato precisa fazer uma capacitação que é ofertada de três a quatro vezes ao ano, aprendendo com os nossos profissionais o que é o ICC, que setores se pode atuar. Caso se identifique com determinada área, ele passa três meses no setor, mas sempre acompanhado por um coordenador, que é um voluntário mais experiente. Ao final desse tempo, se for considerado apto. O processo criterioso de aceitação e acompanhamento dos voluntários é condizente com os propósitos humanitários do ICC e com a seriedade da Casa Vida quanto às condições de acolhimento. Interessante dizer que muitos deles tiveram casos de câncer na família, passaram muito tempo no Hospital Haroldo Juaçaba, viram o trabalho desenvolvido e retornaram como voluntários, para retribuir a atenção recebida e fortalecer nossa corrente solidária.

Os voluntários do ICC realizam um ato de doação ao próximo, de forma totalmente gratuita. Para manter a excelência na qualidade do atendimento, eles são escolhidos de acordo com uma série de critérios. Para se tornar voluntário, é preciso ter mais de 18 anos, disponibilidade de horário e ensino médio completo ou estar cursando nível superior. Os interessados em ser voluntários da Casa Vida devem entrar em contato por telefone ou visitar a Casa Vida para cadastro

Voluntário fixo: Os voluntários fixo da Casa Vida participam do dia a dia dos pacientes, com horários semanais e de acordo com suas habilidades. Distribuem afeto e se doam por meio de conversas, auxílio em áreas administrativas, desenvolvimento de atividades lúdicas, artesanato ou na organização de festas e eventos. Voluntário de ações eventuais: Os voluntários de ações eventuais ajudam sempre que podem. São pessoas com disponibilidade menor de tempo, mas que têm vontade de ajudar de alguma forma. Elas podem contribuir em Campanhas, na realização de eventos como Outubro rosa, Novembro azul, Natal e em ações pontuais como distribuição cestas, arrecadação de alimentos, organização de festas entre outras ações.

É preciso ter mais de 18 anos e realizar a inscrição por meio do link: https://forms.gle/q1tNTaLR24TDShuk6 ou entrar em contato pelo telefone (85) 3288.4671.

Na Casa Vida, por meio das ações sociais da Casa Vida, ouvindo os pacientes, auxiliando em áreas administrativas, em atividades lúdicas, artesanato ou na organização de festas e eventos.

Mingau do Bem


A Casa Vida oferece alimento diário a pacientes vindos do interior. Mais que uma ação social é um gesto de cuidado e acolhimento, pois muitas vezes o mingau é a primeira ou única refeição daquele paciente que acaba de chegar do interior para uma consulta ou tratamento.

Oficina de Arte e Artesanato


As oficinas de arte e artesanato têm o objetivo de promover o amor, a solidariedade e a autoestima de pacientes e acompanhantes hospedados na Casa Vida durante o tratamento no Hospital Haroldo Juaçaba. A atividade é desenvolvida pelos serviços de terapia ocupacional e psicologia e tem o apoio grupos de artesãos. É um momento de distração, de aprendizado e inclusão social, no qual pacientes e acompanhantes têm a oportunidade de aprender um ofício novo e útil para a vida toda. Além disso, podem esquecer um pouco o ambiente hospitalar, a tensão, a preocupação e a ansiedade e vivenciar uma experiência alegre e profissionalizante, que podem inclusive auxiliar na busca da sua própria renda.

Grupo de Apoio Bem Viver


Realiza encontros voltados para as mulheres mastectomizadas em tratamento no Hospital Haroldo Juaçaba. O encontro é realizado por uma equipe multidisciplinar formada por psicóloga e assistente social que conduzem as participantes em rodas de conversa trabalhando aspectos sociais, de autoestima, superação, entre outros, sempre focados para a sua qualidade de vida e bem estar. O objetivo é estabelecer um diálogo construtivo e trocar experiências que permitam lidar com a doença de forma mais positiva. A maioria das mulheres têm histórias de vida permeadas pelo abandono dos maridos, pela rejeição da sociedade, pela perda do emprego e pela baixa autoestima. Ao final de três meses de encontros, a mudança de ânimo e de comportamento já se faz notar, pois, com a ajuda do grupo, as pacientes encontram suporte para seguir a vida e recomeçar a partir das dificuldades.

O que estão dizendo


Relate sua experiência